1070 15/05/2020 às 12:00 - última atualização 19/05/2020 às 09:51

Bolsonaro nega fritura de ministro da Saúde, mas exige ampliação da cloroquina

Redação Em Dia ES

O argumento de Bolsonaro é que o Conselho Federal de Medicina (CFM) já permite que médicos prescrevam o remédio para pacientes leves
Bolsonaro nega fritura de ministro da Saúde, mas exige ampliação da cloroquina. Foto: Divulgação
O presidente Jair Bolsonaro negou nesta quinta-feira, 14, que o ministro da Saúde, Nelson Teich, corra o risco de ter o mesmo destino que seu antecessor, mas afirmou que exige que a cloroquina seja administrada para pacientes da covid-19 desde os primeiros sintomas. A declaração foi feita durante uma videoconferência com empresários promovida pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

O argumento de Bolsonaro é que o Conselho Federal de Medicina (CFM) já permite que médicos prescrevam o remédio para pacientes leves. O protocolo do ministério, porém, segue recomendações de sociedades médicas e é mais cauteloso: autoriza o uso no SUS apenas para pacientes internados. Teich vem sendo cobrado nas redes sociais por apoiadores de Bolsonaro para recomendar o uso amplo da cloroquina.

“Estou exigindo a questão da cloroquina agora também. Se o Conselho Federal de Medicina decidiu que pode usar cloroquina desde os primeiros sintomas, por que o governo federal via ministro da Saúde vai dizer que é só em caso grave? Eu sou comandante, presidente da República, para decidir, para chegar para qualquer ministro e falar o que está acontecendo. E a regra é essa, o norte é esse”, disse Bolsonaro.

Apesar da cobrança pública, o presidente negou que haja um processo de “fritura” de Teich, que completará um mês à frente do Ministério da Saúde no próximo dia 17. “Eu não estou extirpando nenhum ministro, nunca fiz isso, e nem interferindo em qualquer ministério, como nunca fiz. Agora votaram em mim para eu decidir. E essa decisão da cloroquina passa por mim”, justificou.

Bolsonaro disse que o protocolo adotado pelo ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, não pode continuar sendo seguido por Teich. Mandetta foi demitido justamente por divergir do presidente sobre medidas de isolamento social e o uso da cloroquina.

“‘Tá’ tudo bem com o ministro da Saúde. ‘Tá’ tudo sem problema nenhum com ele. Acredito no trabalho dele. Mas essa questão, vamos resolver. Não pode um protocolo de 31 de março, quando estava o ministro da Saúde anterior dizendo que era só em caso grave… a gente não pode mudar protocolo agora? Pode mudar e vai mudar”, disse que a alteração ocorrerá “em comum acordo com o ministro da Saúde, porque o Conselho Federal de Medicina diz que tem que ser feito dessa maneira”.
 
 
 

Fique em dia

  1. 1

    1 - Dia dos Pais e importância de se valorizar o tempo com os fillhos Dia dos Pais e importância de se valorizar o tempo com os fillhos
  2. 2

    2 - Dia dos Pais: 4 atividades para comemorar a data em casa ou à distância Dia dos Pais: 4 atividades para comemorar a data em casa ou à distância
  3. 3

    3 - Instituto prevê geada para regiões mais altas do ES nesta quarta-feira Instituto prevê geada para regiões mais altas do ES nesta quarta-feira
  4. 4

    4 - Com investimentos em diversas áreas Espirito Santo vai enfrentando a Covid-19 Com investimentos em diversas áreas Espirito Santo vai enfrentando a Covid-19
  5. 5

    5 - Faceli cria Grupo de Trabalho Multisetorial para realizar planejamento de atividades do ... Faceli cria Grupo de Trabalho Multisetorial para realizar planejamento de atividades do ...
  6. 6

    6 - Novo protocolo da cloroquina será assinado na quarta por Pazuello, diz Bolsonaro Novo protocolo da cloroquina será assinado na quarta por Pazuello, diz Bolsonaro
 
 
 
 

Filme em Cartaz

 

BOLETIM

Receba nossas notícias por e-mail.

)
Logomarca