239 05/05/2022 às 07:00

Câmara contraria governo e aprova piso salarial da enfermagem

Estadão Conteúdo

Redação Em Dia ES

De autoria do senador Fabiano Contarato, o projeto de lei determina que o piso da categoria deverá ser reajustado anualmente com base no INPC
Câmara contraria governo e aprova piso salarial da enfermagem. Foto: Reprodução
A Câmara aprovou nesta quarta-feira, 4, o projeto de lei que cria um piso salarial para profissionais da enfermagem, a nível nacional, que varia de R$ 2.375 a R$ 4.750. O piso deve gerar um custo de até R$ 18 bilhões aos serviços de saúde públicos e privados de acordo com o presidente da Casa, deputado Arthur Lira (PP-AL). 

O projeto de lei 2.564, do senador Fabiano Contarato (PT-ES), foi aprovado por 449 votos favoráveis a 12, apesar de o governo Bolsonaro ter se posicionado contra.

De origem do Senado, o PL determina que o piso da categoria deverá ser reajustado anualmente com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). 

Além disso, fica assegurada a manutenção de salários eventualmente superiores ao valor inicial sugerido, independentemente da jornada de trabalho para a qual o profissional tenha sido contratado.

Autor do projeto, Contarato comemorou a aprovação dele na Câmara. “É uma vitória histórica o reconhecimento salarial que esses profissionais tanto merecem! Agora, que já aprovamos a proposta no Senado e na Câmara, o texto tem de ser enviado à sanção da Presidência da República. E vai virar lei! É um forte clamor da sociedade, de todo o Congresso Nacional e dos trabalhadores da categoria para tornar realidade desse direito fundamental”, ressaltou.

Contudo, de acordo com a relatora da proposta, deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC), o projeto só irá à sanção presidencial após promulgação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 122/15, aprovada em fevereiro deste ano, que proíbe a União de criar despesas aos demais entes federativos sem prever a transferência de recursos para o custeio.

Mobilização dos profissionais da enfermagem na Câmara
Desde segunda-feira, 2, profissionais da enfermagem circulavam pela Câmara e conversavam com parlamentares, numa mobilização que levou a um amplo apoio à proposta entre deputados. 

No plenário, parlamentares favoráveis ao projeto argumentaram que os profissionais de saúde merecem reconhecimento por terem estado na linha de frente do combate à pandemia de covid-19.

O deputado Tiago Mitraud (MG), líder do Novo, único partido contrário ao piso, afirmou que a proposta é eleitoreira e tem alto impacto orçamentário. "Este projeto vai acabar com a saúde brasileira porque vamos ver as Santas Casas fechando, leitos de saúde fechando e os profissionais que hoje estão aqui lutando pelo piso desempregados porque os municípios não conseguirão pagar esse piso", criticou.

Na avaliação do líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), a criação do piso representa um grande desafio para os cofres públicos. Barros disse que, como não havia indicação da origem dos recursos para custear a proposta, a orientação do governo seria contrária. 

"Neste momento, o projeto não atende à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), e por isso o voto do governo é contrário", declarou.

No entanto, como a aprovação do projeto era inevitável, Barros garantiu que o governo se manterá empenhado em buscar fontes de financiamento. 

"São R$ 16 bilhões que estão aguardando a fonte de recursos e nós estamos trabalhando demoradamente e insistentemente na busca de recursos para garantir que as conquistas sejam efetivas", disse.

Os profissionais beneficiados pelo projeto são enfermeiros, técnicos em enfermagem e parteiras.
 
 
 

Fique em dia

  1. 1

    1 - Milton Ribeiro entrega pedido de exoneração a Bolsonaro Milton Ribeiro entrega pedido de exoneração a Bolsonaro
  2. 2

    2 - Qual é a agenda de Bolsonaro na controversa viagem à Rússia Qual é a agenda de Bolsonaro na controversa viagem à Rússia
  3. 3

    3 - Julio de Castilhos assume comando do Ministério Público Eleitoral no ES Julio de Castilhos assume comando do Ministério Público Eleitoral no ES
  4. 4

    4 - TSE planeja regra para ‘secar’ receita de canais com conteúdo político na internet TSE planeja regra para ‘secar’ receita de canais com conteúdo político na internet
  5. 5

    5 - Eugênio Ricas é o novo superintendente da Polícia Federal no ES Eugênio Ricas é o novo superintendente da Polícia Federal no ES
  6. 6

    6 - Eduardo Leite, governador do RS, revela ser homossexual em entrevista Eduardo Leite, governador do RS, revela ser homossexual em entrevista

Enquete

Resultado

Você acompanha as ações dos eleitos nas eleições de 2020?


  • Sim
  • Não

 
 
 
 

Filme em Cartaz

 

BOLETIM

Receba nossas notícias por e-mail.

)
Logomarca