Joacles Costa

Por Joacles Costa

_Escritor capixaba. _Graduando em Letras Português/Espanhol pela UFES - Universidade Federal do Espírito Santo. _Membro efetivo da AJEL - Academia Jovem Espírito-Santense de Letras. _Assessor de imprensa INSTAGRAM: @joacles

Por Joacles Costa

_Escritor capixaba. _Graduando em Letras Português/Espanhol pela UFES - Universidade Federal do Espírito Santo. _Membro efetivo da AJEL - Academia Jovem Espírito-Santense de Letras. _Assessor de imprensa INSTAGRAM: @joacles

Coluna: Kbral | “Nem toda luz é clara, mas por ser luz, será eternamente verdadeira”

Olá meus queridos,

Hoje vamos conhecer pouco sobre a vida de um tal Kbral, sim meu povo! Mas calma ai, esse não é aquele português vindo daquelas terras tão tão distantes e sim um carioca ‘’da gema’’ nascido na capital do Rio de Janeiro no dia 11 de Março de 1981 e que aos 32 anos de idade resolveu “abandonar a Cidade Maravilhosa’’ e de lá para ‘’desbravar’’ e apaixonar-se pelos encantos das terras de cá. O amor à primeira vista foi tão grande que o Kbral carioca resolveu bater barraca de uma vez por todas aqui no Espírito Santo e habitar a terrinha capixaba até os dias de hoje. 

E quem é você Kbral?


‘’Sou um historiador que está na verve do poeta estorial sendo mais influenciado por músicas do que por livros, pois meus pais ouviam do maxixe até música erudita, creio que minha sonoridade poética advém desse tempo”.

Com o nome de batismo de Marco Antonio Cabral Pereira ou simplesmente (Marco Kbral) é Mestrando em Educação pelo IPV (Instituto Pedagógico de Vitória), historiador desde 2002, professor de História com uma vasta experiência em Ensino Fundamental, Médio e Superior, tendo publicado Obras Técnicas e Científicas a respeito dos impactos da Restauração Portuguesa sobre a cidade do Rio de Janeiro (1640-1680), material premiado em 2001 pela UGF, Universidade Gama Filho no Rio de Janeiro - RJ.    

Já na área da poesia, o livro de estréia de Kbral foi Sete Poemas de Amor para Sete Amores Reais (2010), uma obra que fala de amor para sete mulheres e dos ciclos sociais em que tudo começa com uma brincadeira de afetos. Daí por diante o escritor nunca mais parou de escrever e logo após vieram as obras: Etérea (2015), Amorodé (Poemas Africanos, 2017), Maria Mulher (1ª edição publicada em 2018 com relançamento em 2019), livro esse que deu nome ao espetáculo de dança Flamenca da Companhia Alma Andaluza e apresentado no Sesc Glória de Vitória/ES no mesmo ano de 2019, Passo de Dois (também de 2019).

Polifonias Hiperbólicas que é o livro mais recente, acabou de sair do forno e está quentinho, pronto para a ”degustação” dos leitores ainda nesse ano de 2020. O título do livro, representa as várias vozes hiperativas que gritam uníssonas pelo desejo do amor, dentro de um só Kbral. É uma escrita atemporal que resgata o sagrado feminino, sem que esteja preso a gêneros divididos em arquétipos de mulheres/homens de um possível hibridismo: guerreiras, deidades, verdadeiras, histórica para amar a vida sem qualquer tipo de amarras, com respeito e responsabilidade do amor livre.
 
Para o autor, a leitura trabalha a ideia de que o mundo é mais feliz quando olhado dos entrelugares, que é oposto do lugar comum, porque “nem toda luz é clara, mas por ser luz, será eternamente verdadeira,” acrescenta o poeta. Talvez esse seja motivo pelo qual o dito Kbral, seja considerado um poeta mestiço. Que assim seja.

Livro: Polifonias Hiperbólicas
Autor: Marco Kbral
Número de páginas:  66
Ano: 2020
Gênero: Poesia
Preço: 25,00
Editora: Mondrongo
Isbn: 978-65-80066-53-7
Onde comprar: Editora Cousa - (27) 99956-0277 

Minha leitura Em dia: “Estou lendo Fragmentos de um discurso amoroso, Roland Barthes, Editora Unesp.2018”

O artigo publicado é de inteira responsabilidade exclusiva de seu autor e não representam as idéias ou opiniões do site EMDIAES.

O Espírito Santo tem uma Safra Muito Boa de Grandes Poetas

Ítalo | “O Espírito Santo tem uma Safra Muito Boa de Grandes Poetas.”
Olá meus queridos,
 
Hoje vamos bater um papo super descontraído e bem literário com o jovem escritor capixaba, advogado, poeta, membro da Academia de Letras de Vila Velha/ES e escritor de contos, Ítalo Wyatt. Nascido em 01 de Novembro de 1996 em Mucurici no Norte do Espírito Santo ítalo decidiu, aos dezessete anos, vir para Vila Velha para estudar o curso de Direito, trabalhar e produzir literatura, que é a parte que ele mais ama fazer. 

Ele é filho de uma professora de ensino fundamental, o que contribuiu muito para a descoberta da leitura logo na primeira infância e apaixonar-se pelas histórias e lendas narradas pelo avô.  Já na adolescência, o escritor conta que o primeiro livro que o fez tomar gosto pela literatura foi Triste fim de Policarpo Quaresma – Lima Barreto em que traz o personagem seresteiro do subúrbio carioca chamado “Ricardo coração dos outros”, prendeu tanto a atenção que Ítalo chegava chorar lendo o livro, a partir dessa leitura, a paixão pelos contos clássicos intensificou-se demasiadamente também aumentou o gosto pela leitura por clássicos da literatura tais como: Drumond, Clarice Lispector, Fernando Pessoa e alguns da literatura contemporânea.

Apesar da poesia ter um estilo mais melancólico, o que diferencia da prosa, dos contos e das crônicas, ítalo confessa que gosta mesmo é de escrever poesias, porém, ele prefere manter em segredo o motivo pelo qual adentrou nesse gênero literário, então tá né meu povo? Manteremos guardado esse segredo à sete chaves; entretanto, deixa bem claro que desenvolve melhor a escrita poética nos momentos mais melancólicos da vida e que esse sentimento já diminuiu um pouco atualmente e relata “A poesia sempre foi o meu refúgio e o que eu não conseguia dizer em palavra orais eu deslanchava por completo nos versos poéticos que fluíam em palavras não são ditas”. Sofrimentos à parte minha gente.

Para o jovem Wyatt, quando se fala no assunto poesia capixaba ele cita como  a principal referência em primeiro lugar o autor Sérgio Blanck, seguido dos poetas Waldo Motta, Fernado Tatagiba, Narcisa Araújo, Anaximandro Amorim e Miguel Marvilla (in memória.) todos consagrados como imortais e inclusive o poeta Ítalo sempre foi sondado pela Academia de Letras de Vila Velha e  desde 2019, tornou-se também um imortal, cabendo a ele sair em defesa da arte literária capixaba, pelo motivo da dificuldade dos escritores capixabas em encontrar divulgação e lugar para expor as obras. Ítalo tem alguns livros publicados, dentre eles o mais conhecido é A janela do Éden, com textos bem reflexivos, leia um pequeno trecho do livro: A janela do Éden.

‘’Paraíso: a carne que nasce leite apodrece em pó; baladas dos passarinhos e dos ventos uivantes, a rispidez das feras e a astúcia das lebres, raios de todas as províncias e águas das fontes potáveis e subalternas. O amor, a paz, o sexo dos anjos…

– Queremos mais!

Desobedecer, pecar, experimentar. O ódio, a raiva, o rancor…

Pólis de Caim e Abel: trabalhar a terra, experimentar as dores de parto e Morrer.

“E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom”…Há um Éden em cada um de nós.’’

Nosso autor pretende publicar em breve, mais duas obras literárias, uma coletânea de contos intitulada Plataforma da Ilusão e uma de poemas chamada O Sangue que Corre de Um Corpo Andrógeno e segundo ele “O Espírito Santo tem uma safra muito boa de grandes poetas”. Então vamos aguardar pra ver a próxima obra literária desse jovem imortal.

Livro: A Janela do Éden
Autor: Ítalo Wyatt
Editora: Multifoco
Preço: R$ 35,00
Onde comprar: Disponível somente neste link da editora


 
Minha leitura Em Dia: "Estou relendo Grande Sertão Veredas de Guimarães Rosa."

O artigo publicado é de inteira responsabilidade exclusiva de seu autor e não representam as idéias ou opiniões do site EMDIAES.

Anaximandro | Escritor capixaba começou sua carreira literária aos 16 anos

Caros leitores,
 
Tenho a honra de apresentar nessa primeira edição da Leitura Em Dia, um renomado escritor Capixaba, nascido no Município de Vila Velha, ES, em 14 de Dezembro de 1978. Anaximandro, iniciou cedo a bela carreira literária aos 16 anos de idade, um diferencial para essa idade, o que não é tão comum assim né minha gente? De lá pra cá o escritor não parou mais e possui vários títulos publicados aqui no Estado e até fora do país.

O escritor é professor de francês, ator, advogado, ex-apresentador do programa Jovens Escritores da DTV, o primeiro programa voltado exclusivamente à literatura capixaba de 2003 à 2005, poeta, foi membro da Ajel Academia Jovem Espírito-santense de Letras e hoje é membro da Academia de Letras do Espírito Santo.    

O Autor publicou o primeiro livro intitulado "Brasil de Ontem, Hoje e Sempre" (poemas, 1994); em seguida "Asas de Cera" (infantojuvenil, 1995); posteriormente "Concupiscência" (romance, 2003), participou das Antologias Jovens Autores, da Ajel (Academia Jovem Espírito-santense de Letras - 2001 a 2008/9), escreveu também "História de um sobrevivente" (autobiografia, 2010); "O livro dos poemas" (poemas, 2013); "A Máquina do tempo e outras histórias" (contos e crônicas, 2014); "A vida depois da Luz" (uma narrativa de fatos reais 2015) história de quase morte; "O Breviário do Silêncio" (poemas, 2018) e o mais recente "A obscuridade" (romance, 2018).

Felizmente, Anax vem de uma família de leitores e sempre teve biblioteca em casa, de modo que o livro foi uma coisa muito natural na vida dele e segundo ele "o lado escritor não existiria se o leitor não fosse gestado nesse ambiente tão propício à cultura e não há escritor sem leitor." O hábito da leitura converte-se um "vício saudável", visto que Anaxé incapaz de passar um dia sem um livro, "quando não leio dois, até três livros ao mesmo tempo, pois ler estimula uma postura crítica, amplia vocabulário e nos faz mais humanos, em última análise". Avalia o escritor.

Anaximandro faz um trabalho de divulgação muito grande nas redes sociais e felizmente, recebe, retorno dos leitores e outra forma de interação com o público é quando faz palestra em escolas. "É sempre interessante conhecer o que o leitor pensa dos meus textos, muitas vezes já fui surpreendido com análises incríveis, coisas em que jamais havia pensado, até então." Fecha o Escritor.

O artigo publicado é de inteira responsabilidade exclusiva de seu autor e não representam as idéias ou opinIões do site EMDIAES.

Fique em dia

Logomarca